DICAS DE CUIDADOS COM A PELE PARA USUÁRIOS DE MOTOCICLETAS

viagem de moto

Artigo escrito pela nossa amiga motoqueira Sharlete.

Eu sou a orgulhosa motoqueira proprietária e de uma moto Harley Davidson. Estou pilotando há 10 anos e simplesmente amo.

Na próxima semana meu marido e eu vamos fazer uma excursão para o interior do Tocantins e estaremos acampando pelas margens do rio do mesmo nome.

Todos sabem que pilotar uma moto implica em receber calor, sol, vento e, às vezes, chuva no rosto e em outras partes desprotegidas do corpo. Dessa forma, fica evidente que não podemos negligenciar os cuidados com a pele, principalmente para nós mulheres, senão teremos que começar a usar up skin creme facial ou o creme ageless antes do previsto. Os homens também, apesar de mais desleixados, incluindo aqueles que usam barba crescida, deveria se preocupar com a saúde da pele.

Dessa forma, seguem algumas dicas para aqueles que vão pegar a estrada e curtir uma deliciosa viagem de moto:

Descontinuar o uso de esfoliante

Embora usar esfoliante seja parte importante da rotina de cuidados com a pele, é melhor evitar usá-lo 3 dias antes do iníco da viagem, pois ele pode aumentar a sensibilidade da pele em contato com o sol em até 45%, aumentando os risco de insolação.

Aplique protetor solar generosamente

E reaplique a cada duas horas. Sem dúvidas, protetor solar é obrigatório para motociclista. O vento no rosto pode ser enganador, pois ele faz o sol não parecer tão quente quanto realmente é, dando a falsa impressão de que a pele não está queimando.  Acredite: você está correndo o mesmo risco de queimar a pele do que se estivesse parado.

Não esqueça o pescoço, orelhas e mãos

Certifique-se de que estas áreas receberam a devida dose de protetor solar também. É comum esquecê-las e concentrar-se somente no rosto.

Reaplique protetor solar mais frequentemente no nariz

Homens em particular têm poros nasais mais largos, e a oleosidade é produzida primeiro ali. Assim, o  protetor solar se dissolve mais rapidamente do que no rosto.

Use roupas que protejam contra o sol

Embora seja mais divertido pilotar usando apenas camiseta, sentindo o vendo no tórax, é importante estar vestido adequadamente para se proteger do sol e de eventuais acidentes, além de que reduz-se o uso de protetor solar.

Lave o rosto ao chegar

Uma vez terminada a jornada, lave seu rosto com o sabonete ou gel adequado, para limpar toda a sujeira, poeira, oleosidade e química acumulada no seu rosto. Também recomenda-se usar hidratante.

Posted in Dicas | Comments Off on DICAS DE CUIDADOS COM A PELE PARA USUÁRIOS DE MOTOCICLETAS

NEM VESPA, NEM LAMBRETTA

Nem Vespa, nem Lambretta. Nem Piaggio, nem Innocenti. Embora a iniciativa da produção desses dois veículos que revolucionaram o mercado mundial tenham partido dos donos das duas empresas, Enrico Piaggio e Ferdinando Innocenti, o verdadeiro nome por trás das duas clássicas é o do engenheiro aeronáutico Corradino D’Ascanio.

corradino_dascanio

No fim da guerra, D’Ascanio foi contratado por Innocenti, que das ruínas de sua fábrica de tubos de aço enxergou uma saída: desenvolver um veículo simples, robusto, de preço acessível, que pudesse ser pilotado por mulheres e homens, fosse capaz de levar um passageiro e que as roupas do condutor fossem preservadas na pilotagem.Tudo começou bem longe da Itália, no período que antecedeu a 2ª Guerra Mundial e muita gente decidiu deixar o país, algumas para imigrar para Quebec. Foi dos scooters clássicos Cushman,  fabricados a partir da década de 1930 nos Estados Unidos, e que foram utilizados pelo exército americano no período que antecedeu a guerra na região dos Alpes Austríacos, que nasceram a inspirações de design tanto para a Vespa quanto para a Lambretta.

D’Ascanio esboçou um veículo de duas rodas com a troca de marchas sendo feita através do guidão e com o motor diretamente conectado na roda traseira. Naquele momento, tudo teria dado certo entre os dois se ambos não discordassem em um ponto: D’Ascanio queria que o chassis fosse estampado e Innocenti queria que o chassis fosse tubular. Com isso, D’Ascanio rompeu a parceria e abandonou o projeto.

Enquanto isso, Enrico Piaggio, filho de Rinaldo Piaggio, fundador Piaggio, e que na época dirigia a empresa, já consagrada por construir locomotivas, trens e aviões, também buscava maneiras de se recuperar após ver sua fábrica em Pontedera ser dizimada na guerra. Assim como Innocenti, Piaggio viu no mercado a necessidade de um veículo bom e barato para atender a demanda das massas.

Porém, Piaggio não gostou do design, que tinha a parte central do chassis alta e fechada, além de outros detalhes. Foi então que D’Ascanio, que havia rompido com Innocenti, entrou em cena na Piaggio.O primeiro protótipo se chamava “MP5” (Moto Piaggio no. 5), ou “Paperino”, como foi apelidado, e havia sido desenvolvido pelos engenheiros aeronauticos Renzo Spolti e Vittorio Casini.

Dessa nova parceria nasceu o protótipo “MP6”, que era o que havia de melhor no protótipo anterior e das ideias de D’Ascanio. O protótipo seria batizado de “Vespa” e deu origem ao primeiro modelo a ser produzido em escala, que teve o seu lançamento oficial em 1946.

vespa 1946
Vespa 98 1946, primeira feita em escala pela Piaggio

Com a saída de D’Ascanio do projeto de Innocenti, ele recorreu aos também engenheiros aeronauticos Cesare Pallavicino e Pier Luigi Torre para tocarem o projeto para frente até a Lambretta iniciar sua produção em escala pouco tempo depois, em 1947.

Já com a Vespa e a Lambretta sendo produzidas em escala, observou-se que a Vespa continha menos peças, custava menos e era finalizada em menos tempo que a Lambretta.

Batismos

O batisto da Vespa se deu na primeira vez que Enrico Piaggio viu o novo protótipo. “Ela lembra uma vespa!”, disse. Logo depois, o nome, que se tornaria uma grande marca, foi registrado.

O veículo de Innocenti foi batizado inspirado no rio “Lambro”, localizado na região da fábrica da Innocenti. Devido a grande popularidade no Brasil entre as décadas de 1960 e 1970, popularmente o nome “Lambretta” perdeu um “T” e virou sinônimo para todo tipo de motocicleta ou scooter pequena – assim como aconteceu com Bombril para palha de aço, entre outros produtos consagrados. Por esse motivo é comum que muitas pessoas, por desconhecimento, chamem a Vespa de “lambreta”.

Vespa e Lambretta hoje

Das duas, oficialmente, só a Vespa ainda é fabricada. Mas ainda existem muitos fabricantes de peças e acessórios para ambas espalhados por todo o mundo.

Embora a Innocenti e a marca “Lambretta” tenham sido vendidas para outras empresas, diversos modelos da Lambretta chegaram a ser fabricados sob licença na Argentina (Siambretta), Brasil, Chile, Colômbia, Índia e Espanha (Serveta).

No Brasil, tivemos os modelos D, ou “Standard”, e LD, ou “Luxo”, LI, Cynthia e Minissaia, além do triciclo Lambrecar e dos derivados Xispa, Pônei e Tork.

Em 2014, a Scomadi lançou na Inglaterra um scooter 4 tempos com design inspirado nas linhas dos modelos GP e DL da famosa Lambretta, nas versões 50cc, 125cc, 300cc e uma elétrica que, embora não tenha sido anunciada, foi apresentada nos showrooms onde a marca colocou seus lançamentos em exposição.Na Índia, a produção de um triciclo derivado das Lambrettas perdura até hoje. Também há um scooter produzido em Taiwan, batizado de Lambretta LN, lançado em 2011, e que tem seu design inspirado nos modelos antigos.

vespa 946
Vespa 946

A Piaggio conseguiu vencer as diversas crises de sua história, tendo se transformado na mais conceituada fábrica de scooters do mundo, além de ainda ter a marca “Vespa” como seu carro-chefe. O modelo PX, inclusive, ainda é fabricado na Itália nas versões 125cc e 150cc. Também seguem em produção os modelos GTS e GTS Super, scooters modernos inspirados nas Vespas do passado, e modelos que carregam o nome e design de modelos consagrados, como a Sprint, Primavera e o recém lançado 946, baseado no primeiro modelo da Vespa, de 1946.

Em paralelo, outros modelos derivados também são comercializados pelo mundo. O mais famoso é praticamente uma cópia do modelo PX e é produzido pela LML, na Índia, sendo importado para vários países do mundo com motorização 2 tempos e 4 tempos. No Brasil, da Vespa, entre os modelos considerados clássicos tivemos as M3, M4, Super e PX. Também se sabe a existência de exemplares que foram trazidos ao Brasil via importação: Rally, 50 Special, Faro Basso e 125. Reza a lenda que o modelo Primavera também já foi visto em terras tupiniquins.

 

Posted in Review | Comments Off on NEM VESPA, NEM LAMBRETTA

PRFIL DO MOTOQUEIRO

backgroundColete, calça jeans, bandana e óculos escuros. Parece ser esta a imagem que muitas pessoas fazem dos motociclistas. Pilotando ao som de alguma banda de heavy metal, como AC/DF, Iron Maden, Scorpions, etc, com o sol refletindo no asfalto e a emoção de viver a liberdade que só os motoqueiros conhecem.
Talvez até barba e cabelos grisalhos ou pouco cabelo para aqueles que se furtaram ao tratamento para calvície. Alguns com uma certa barriga avantajada que não deram uma chance para saber se green coffee slim funciona, outros com um estilo meio marrento.
Efetivamente não existe unanimidade em se tratando do perfil do motoqueiro. Os elementos comuns são o reduzido gasto com combustível e manutenção, a liberdade e a emoção que se sento ao pilotar uma moto.
Janut Sereno, que mora em São Paulo, representante comercial, 49 anos, casado, pai de 2 filhos, apaixonou-se por moto quando ao 16 anos ganhou uma mobilete do pai para andar somente dentro do condomínio no qual morava com a família. Hoje o é orgulhoso proprietário de uma Yamaha Teneré XT 1200Z, ano 2014 que usa para fazer passeios aos finais de semanas com os amigos, mas, de vez em quando, precisa relembrar sua esposa de que pilota equipado, com cautela e sem ingerir álcool, para deixá-la mais tranquila.
Já Djalma Benevides, empresário, morador de Campinas, se diz casado e pai de 3 filhos, sendo o terceiro uma moto Harley Davidson Roadster. Segundo ele, a liberdade de pilotar a moto numa trilha o faz esquecer dos problemas cotidianos; é como uma terapia.
Janilson Almeida também utiliza sua moto Honda CG 150 ano 2015 nos corredores da grande capital paulista. Neste caso, tem o perfil diferente, pois o faz para entregar pizza e está sob constante pressão, correndo contra o tempo e preocupado com os riscos constantes oriundos da profissão. Já sofreu 2 acidentes de moto, mas diz que não pode largar o trabalho e procurar outra coisa e, mesmo após os acidentes, continua gostando de moto.

Motor Bike Riders
Para fim de artigo, não existe motoqueiro típico. A moto é um veículos de presença constante e os mais variados tipos de pessoas e perfis sociais a utilizam, quer seja para trabalho, quer seja para lazer. Este veículos continua fascinando os amantes da liberdade e ajudando aqueles que não tem muitas opções a trabalharem e tocaram a vida.
VRRRRRRRRRRRUUUUUUUUUUUUUUMMMMMMMMMMMMM!

Posted in Perfil | Comments Off on PRFIL DO MOTOQUEIRO

TOP 5 MOTOS MAIS CARAS DO MUNDO

“Da janela o horizonte e a liberdade de uma estrada eu posso ver

O meu pensamento voa livre, pra longe de onde estou.”

Roberto Carlos.

E para os homens e mulheres livres, apaixonados pela sensação de acelerar uma moto, e curtir a sensação de estar voando, vamos a um lista de 5 motos mais caras do mundo. Mas antes, parece clichê porém, para sua segurança, tome de novo: pilote equipado, capacete, joelheira, cotoveleira e sem beber para não acabar com a alegria, hein!

Ah mas eu não tenho dinheiro para comprar! Tudo bem! Não se desespere! Vamos pelo menos dar uma olhada, apreciar essas maravilhosas obras de arte e nos deliciar com a beleza, design e tecnologia de ponta.

VRRRRRRRRRRRRUUUUUUUUUUMMMMMMMMMMM!!!!!

5 – NCR Macchia Nera Concept – US$225.000,00 – Queridinha de muitos motociclistas porque não pesa tanto e atinge grandes velocidade no asfalto. Resultado de uma combinação de várias tecnologias de ponta.

ncr-macchia

 

 

4 – NCR M16 – US$ 232.500,00 – Essa coisa linda de Deus é fabricada com fibra de carbono e titânia por uma empresa italiana. Tem um motor super potente que pode gerar 200 cv. Também é fabricada somente sob encomenda.

ncr-m16

 

 

3 – Hollister Excite US $ 250.000,00 – Aposto que você se lembrou das camisetas né? Design diferente e visual moderno, fabricada com metais resistentes e pesados. Essa máquina já foi eleita a mais bonita do mundo.

hollister

 

 

2 – Ecosse Titanium Series FE Ti XX – US$ 300.000,00 – Lançada em 2011 pela Ecosse. Uma das mais caras do mundo, é artesanalmente customizada e feita somente sob encomenda. Tem 225 cv de potência num motor de 2.400 cm³. Vai encarar a fera?

ecosse-titanium

 

 

1 – Dodge Tomahawk – US$ 550.000,00 – And the oscar goes to… O monstro fabuloso da tecnologia. Parece peça de filme de ficção científica. A Tomahawk é moto conceito, produzida pela Dodge desde o ano de 2007. Na verdade ela vem com um motor de carro, o viper. Tem a capacidade de acelerar de 0 a 100 km/h em2,5 segundos, podendo atingir a velocidade de 550 km/h.

tomohawk

 

E aí, gostou? Vai reservar um dinheirinho do seu 13º salário para compra uma belezinha dessas? 😉

Posted in Review | Leave a comment